O Artista chamado Samuel

Vídeo game, computador, celular e qualquer outra coisa que possa chamar a atenção de uma criança de hoje em dia não é algo que o Samuel goste tanto.
Ele “inventou” uma maneira para passar o tempo com prazer e começou a estimular a criatividade fazendo desenhos de Pokemon  em caderninhos já usados.
O trabalho é complicado, ele apaga  todas as escritas do caderno, busca as referências dos personagens  no computador e depois começa os esboços para então colorir, recortar e colar, tudo com muita  simplicidade e uma empolgação que contagia:
“Eu não tenho preguiça de desenhar, pra mim nada e difícil não” 

” Isso aqui é uma arte, artista pode ser muito famoso, eu não quero muita famosidade não, eu só quero trabalho assim sem ser artístico sabe, eu quero ser desenhista em vez de artista.”

Ele ainda dá um conselho sábio para as crianças:
” Olha aí criançada  boneco é besteirinha, desenhar é muito melhor!”

Então, que tal largar tudo e começar a colorir nesse domingo?

Noivas Barbadas

A exposição é velhinha, mas confesso que a idéia ainda me encanta.
Homens num ensaio fotográfico vestindo o maior símbolo de pureza feminina…machos barbados e sensíveis!
Esse foi o trabalho do fotógrafo Jorge Bispo, formado em Artes Plásticas e colaborador de publicações em veículos de imprensa como   Vogue Brasil, Playboy Brasil, Trip, TPM  e Vip.

“Cabe um mundo de personagens nesse que já foi o manto sagrado, o santo sudário com que toda mulher queria vestir seus sonhos e que hoje quase não se vê mais piscando na imaginação das jovens. Não por acaso, vamos reencontrá-lo agora no corpo de algumas personalidades machas brasileiras. É comédia? É tragédia? Nelson Rodrigues, que era capaz de fazer rir e chorar, geralmente com a mesma frase, entenderia o drama e o humor que as fotos de Bispo viram por baixo dos panos.”

(Joaquim Ferreira dos Santos, jornalista de O Globo)

Identidades Ilustradas com Aquarela e Poesia

Mil pessoas e suas peculiaridades fazem parte de uma série de ilustrações rabiscadas que se descrevem por sí só em um tumblr da mineira Verônica Vilela.
É um projeto bacana que inspira sensações a cada descrição dos perfis imaginários.
Seu processo é natural, ela conta que depois que surge o desenho a história vem  sussurrando sem muito esforço!

http://inventariodetiposhumanos.tumblr.com/

MODA EM COR PARA SENTIR!

Não nos importamos com as tendências da Vogue, fazemos Moda mas queremos mais cores, liberdade, atitude e arte!
A moda feita pela história com essência forte e um sentimentalismo experimental que nos faz cada vez mais diferentes.
Caderno de roupas, Memórias e Croquis” é um projeto do estilista mineiro Ronaldo Fraga, que com seu trabalho analisa a moda como um vetor de reafirmação e apropriação cultural, criando vínculos e resgatando memórias.
Isso se traduz aqui:

fashionistando-ronaldo-fraga-21

Sua história não pode se perder!

Tem canções que marcam muitas fases da nossa vida, e essa é uma especialmente para homenagear portadores de Alzheimer, que lutam dia a dia para preservar suas memórias e histórias!
Vale a pena ver o vídeo e se emocionar também com toda a fragilidade do ser humano e a busca por resgatar coisas que ficaram no passado e fizeram você se tornar a pessoa que é hoje!

“Todos os lugares que você visitou, todas as pessoas que você conheceu, as histórias que você gostava de contar, sobre uma vida que você viveu tão bem! Tudo bem, você pode descansar se quiser. Eu vou lembrar para você e me lembrarei também.”

NÃO TENHA MEDO DE MUDAR

É sempre bom mudar, fazer as malas para abrir as janelas em uma nova vista.
Ter espaços diferentes para explorar, paredes brancas e cômodos carentes por novas histórias.
A mudança é uma renovação que talvez venha cheia de medos, mas com eles também tem a esperança e as vontades renovadas de acreditar ainda mais naquilo que sonhamos para o futuro!

Em suspiros falo que só o que está morto não muda, então:

“Tente o novo todo dia. 
o novo lado, 
o novo método, 
o novo sabor,
o novo jeito, 
o novo prazer, 
o novo amor. 
a nova vida. “
Edson Marques




 

Dia dos mortos México

Resolvi falar sobre isso por vários motivos, entre eles: o dia dos finados estar aí e por ser uma data super memorável, entre outros motivos secretos.

Então explicando: no México, também no dia 2 de novembro, o Dia dos Mortos é uma celebração de origem indígena e honra dos finados. É uma festas mexicana bastante animada, e segundo dizem os mexicanos, os mortos vêm para visitar seus parentes. É uma celebração que segundo relatos tem origem desde os povos maias e astecas. Os rituais que celebram a vida dos ancestrais se realizavam nestas civilizações pelo menos há três mil anos.

Para os antigos mexicanos, a morte não tinha o mesmo significado que a religião católica, que trazem  o inferno e o paraíso para castigar ou premiar. Pelo contrário, eles acreditavam que os caminhos destinados às almas dos mortos era definido pelo tipo de morte que tiveram, e não pelo seu comportamento que tiveram em vida.

Os enterros eram acompanhados de oferendas que continham dois tipos de objetos: os que o morto havia utilizado em vida, e os que poderiam precisar em sua viagem ao submundo. Assim, os objetos eram muito diferentes: instrumentos musicais de barro, flautas, tímpanos e chocalhos em forma de caveiras; esculturas que representavam os deuses mortuários, crânios de diversos materiais, braseiros, incensários e urnas.

Deixo aí uma imagens incríveis de uma cultura super viva, diferente e que vê a morte de um modo bem particular.