Felinos que não saem de moda

Nós do VI E ACHEI TUA CARA somos extremamente apaixonadas por gatos e por moda.
Dessa vez resolvemos fazer uma seleção de looks com estampas felinas que prometem  inspirar e encantar quem também morre de amores por eles!

NÃO TENHA MEDO DE MUDAR

É sempre bom mudar, fazer as malas para abrir as janelas em uma nova vista.
Ter espaços diferentes para explorar, paredes brancas e cômodos carentes por novas histórias.
A mudança é uma renovação que talvez venha cheia de medos, mas com eles também tem a esperança e as vontades renovadas de acreditar ainda mais naquilo que sonhamos para o futuro!

Em suspiros falo que só o que está morto não muda, então:

“Tente o novo todo dia. 
o novo lado, 
o novo método, 
o novo sabor,
o novo jeito, 
o novo prazer, 
o novo amor. 
a nova vida. “
Edson Marques




 

Paraíso (não tão) escondido

Vivo escondida do tumulto do mundo, longe dos grandes centros urbanos, escapando das lojas com logos brilhantes, dos carros com vidros fumê que ocultam rostos e das pessoas insistentes em cumprimentar o chão. Por vezes, nós escondidos, tentamos não parecer tão atrasados aos olhos dos outros, absorvendo informações que nada tem a ver com nosso cotidiano, comprando as tendências mais atuais e discutindo temas culturais que estão a milhares de quilômetros. Em outras circunstâncias nosso maior desejo é mostrar a esses mesmos olhos que as relações com nossos humanos mais chegados podem ser facilitadas, com uma troca de favores ou entre conversas fiadas.
Não exatamente por escolha pessoal de muitos, mas o consumo consciente também faz parte dessa rotina – nossa exposição aos últimos itens da moda ainda está bem precária, porém como ao contrário do que você possa imaginar, temos acesso a internet o que não impossibilita por completo as compras de produtos menos divulgados, moramos em uma cidade pequena não em uma tribo indígena no interior da floresta amazônica.
Sabe o que mais? Admiro o caminhar lento dos que passam pelas ruas, nada aqui vai mais ligeiro do que deveria, tudo tem um lugar garantido, nossas leis de trânsito são feitas pelo nosso bom senso, sem interferência sonora ou luzes com cores que garantem nosso direito de ir e vir.
Explicando assim parece um paraíso, as vezes parado, bucólico, mas o adjetivo de lugar parado é, repetindo a frase: pré concebido aos olhos dos outros, sim, os outros: seres de planetas que não fazem parte de um contexto e que acabam dando opiniões sem saber de nada. Porém, melhor não tomar conhecimento de tantos seres com opiniões furadas, prefiro meu mundinho que insiste em escapar do óbvio, dos movimentos sem pressa e julgamentos precisos sobre o que fazemos parte.

BLISTER.sofi

BLISTER’ foi uma expressão aleatória que surgiu no vocabulário de uma paraguaia que fez parte da minha história a um ano atrás, e que me despertou uma vontade imensa de viajar, independente de destino ou roteiro.
A escolha desse nome pra designar as minhas artes é relativamente nova, pois, se tem algo que eu curto é dar nome as coisas ( sejam bichos de pelúcia ou pés de alface), a trajetória pela busca de uma “palavra ideal” percorreu outros (e muitos) caminhos, mas sempre teve as mesmas propostas, A.utênticas; C.riativas e I.rreverentes; com recursos óra limitados, óra mal administrados, mas sempre almejados independente de qualquer coisa.
Teve dias que perdi a força, a inspiração e até mesmo o incentivo (não me refiro só ao financeiro)…mas as vontades de criar sempre me aguçam novos e diversos olhares e pensamentos, sobre coisas que eu pesei já haver esquecido.



posso fazer parte disso?

Todo mundo quer ser reconhecido e elogiado por alguma coisa; pode ser profissionalmente, fazendo algum trabalho social ou no trato com as pessoas. Não estou falando de aparecer na grande mídia como o artista do momento, mas sim de sermos importantes e admirados por um grupo de pessoas, por nossas criações ou nosso conhecimento sobre um assunto qualquer. Corremos atrás do diferente, tanto em idéias como conhecimento, o tempo todo. Afinal, informações constantes é o combustível dessa geração.

Frequentemente visitamos sites ou blogs com o intuito de encontrar novas bandas ou cantores, pessoas analisando novos comportamentos e modismos, artistas com suas novas intervenções nas cidades, com o objetivo de deixar as mais diversas mensagens para a vida cotidiana.

E você fica naquela de querer participar também, de fazer parte desse grupo que tem a obrigação de deixar um legado de idéias, nem que seja para esse pequeno grupo de pessoas que me referi no primeiro parágrafo.

Mas como, afinal certas pessoas tem idéias tão fantásticas, que levam ao ponto de te fazer pensar se realmente há um motivo para se fazer presente nesse mundo. Pra te deixar com aquela cara de bobo, analisando o que EU posso fazer pra me sentir útil da mesma maneira. Então a empolgação do fazer o diferente vem, fica aqui batendo na cabeça, mas ela vem desacompanhada da idéia tão fantástica que queremos ter, e finalmente chegamos a conclusão que a tal da inspiração são como os sentimentos humanos, não se pode pedir pra parar uma paixão, ou apertar o botão da felicidade, por exemplo. A inspiração também não é simples assim!

No meu humilde ponto de vista, o surgimento de idéias fantásticas é questão de sorte, de estar no lugar e na hora certa, e principalmente nessa hora depender de um olhar mágico direcionado a tal imagem ou fato, e torcer para que a parte formadora de idéias do cérebro faça um bom trabalho. Complexo não?

Beijos e muita inpiração!

Metade de mim agora é assim

Eu tenho paredes em branco e milhões de idéias colecionadas só esperando um tempinho e um pouco de inspiração para colocá-las em prática.
To cercada em um apartamento sem história nehuma, sem cor nenhuma, sem som…
sabe quando as paredes doem os teus olhos e tua pópria voz faz eco?! Não gosto disso, de parecer estar me distanciando cada vez mais.
Abri umas imagens que deveriam me inspirar, da série: “coisas interessantes que eu quero ter ou fazer” e vou postar algumas delas pra colocar um pouco mais de COR no meu dia!


Parede com bastidores


Um poá na minha geladeira retrô


Nuvens sobre a minha cama


A “clássica” poltrona com carrinho se supermercado


Os adesivos de parede


Um engradado como estante


Um sofá com mais utilidade

Se um dia você quebrar seus espelhos

Hoje tenho a impressão de que o dia está um pouco diferente, acho que foi pelo simples fato de abrir a janela do meu quarto depois de uma semana sem ver a rua…Tem um sol singelo, que as vezes me esquenta mesmo eu estando aqui dentro.
Precisei fazer fotossíntese hoje, vou sair um pouco daqui, buscar idéias para o meu projeto de fotografia, ontem estava pensando em fazer algo na rua, bem cotidiano, sem grandes produções, apenas captar alguns momentos e pessoas normais que andam por ai se esquecendo de observar as coisas que ás cercam, tudo parece virar tão banal, tão normal….tão sem significado nenhum…Quero resgatar isso, se não der pra mostrar pro mundo ao menos vou estar ciente de que eu consigo ser um pouco mais envolvida com as coisas.